Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









Ex-ministro do Turismo confirma demissão por ‘excesso’ em ataque a colega de governo

Publicado em: 10/12/2020
Ex-ministro do Turismo confirma demissão por 'excesso' em ataque a colega de governo

Foto: Sérgio Lima/ Poder360

O agora ex-ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, confirmou que foi demitido do governo por conta de uma “divergência” e “excesso” contra um colega. Em conversa num grupo de ministros em um aplicativo de mensagens, ele havia dito que o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, é um “traíra” por supostamente ter pedido a demissão dele ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

 

“Eu não estou saindo por incompetência, não estou saindo por escândalo. Eu só estou saindo porque eu tive uma certa divergência com um ministro e me excedi em algum momento também na minha fala, reconheço”, disse o ministro durante uma confraternização com servidores do ministério em um bar, em Brasília. De acordo com o G1, a confraternização seria para comemorar o final do ano da pasta, mas acabou se transformando na despedida de Álvaro Antônio.

 

Na mensagem, ele ressaltou que sai “de cabeça erguida” e “com a sensação de dever cumprido”. “Nós fizemos o melhor para o turismo brasileiro e conseguimos contribuir com a economia do Brasil”, exaltou, acrescentando ainda que continuará sendo leal ao presidente da República (saiba mais aqui).

 

Álvaro Antônio estava no posto desde o início do mandato de Bolsonaro. Na mensagem em que criticou Ramos, ele disse que sua demissão serviria para que entregassem o cargo ao Centrão, bloco parlamentar que apoia o governo na Câmara dos Deputados. O ministro da Secretaria de Governo é o responsável pela articulação política com o Congresso.

 

“Não me admira o Sr. Ministro Ramos ir ao PR pedir minha cabeça, a entrega do Ministério do Turismo ao Centrão para obter êxito na eleição da Câmara dos Deputados”, escreveu Álvaro Antônio.

 

Por ora, Bolsonaro nomeou Gilson Machado, então presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), para o cargo. A vaga dele na Embratur foi ocupada por Carlos Alberto Gomes de Brito.

CANDIDATURAS LARANJAS

Marcelo Álvaro Antônio deixa o governo após quase dois anos em decorrência de um conflito interno, enquanto as acusações que o atrelam a um esquema de candidaturas laranjas no PSL de Minas Gerais, na campanha de 2018, foram ignoradas pelo presidente. Em outubro do ano passado, o Ministério Público Eleitoral do estado denunciou o então ministro, que na época dos delitos era presidente do PSL em Minas, por falsidade ideológica, apropriação indébita eleitoral e associação criminosa (saiba mais aqui). Mas isso não alterou sua situação no governo.

 

Em seguida, ele também foi indiciado pela Polícia Federal e, ainda assim, Bolsonaro decidiu mantê-lo no governo. Fora do ministério, Álvaro Antônio agora deve assumir seu mandato como deputado federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*