Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

CORONEL ADMITE QUE OTTO DEVE ASSUMIR CANDIDATURA AO GOVERNO: ‘VAMOS DA TEMPO’

Publicado em: 25/2/2022

O senador Angelo Coronel foi o primeiro integrante do PSD a assumir publicamente que a possibilidade de Otto Alencar ser candidato ao governo tomou forma e pode ser uma alternativa à retirada da candidatura de Jaques Wagner ao posto. “O nome de Otto está posto, ele vai ouvir todos os partidos que compõem o arco de alianças para que, se tiver alguma objeção ao nome dele, tentar dirimir…”, admitiu Coronel nesta sexta-feira (25), durante coletiva de imprensa da Polícia Militar sobre a atuação para coibir aglomerações no Carnaval.

 

“Para você entrar numa campanha, tem que entrar com a união 100% do grupo. Otto vai ouvir, se, por um acaso ele sentir que realmente tem esse calor dos partidos aliados em prol do nome dele, acredito que ele topará. Vamos dar tempo”, ponderou o senador. A informação de que Otto aceitou a candidatura foi publicada nesta quinta (24) no Bahia Notícias, após um encontro no Palácio de Ondina selar o acordo (lembre aqui).

 

Coronel ratificou a posição de que há o desafio de pacificar a base aliada do governador Rui Costa para que Otto seja um nome de consenso do grupo político. Rui renunciaria o mandato para ser senador na chapa majoritária, o que permitiria que o PP de João Leão comande o Executivo baiano por 9 meses. “Não adianta você ser candidato da base se a base não abraçar. Não se governa sozinho. Você tem que governar com um arco de alianças, firmando compromissos para o futuro”, sugeriu o socialdemocrata.

 

“Vamos trabalhar para que na Bahia essa união perdure, desse tripé PT-PP-PSD e os partidos que compõem esse arco. Com união, acredito que poderemos chegar à vitória”, disse Coronel, ao sugerir ainda um marco para a apresentação do acordo, entre os dias 5 e 8 de março, com a presença de Lula.

 

ALIANÇA NACIONAL

O senador ainda sinalizou que o acordo para que Otto encabece a chapa na Bahia não inclui a negociação para que o PSD embarque na candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva ainda no primeiro turno. “A aliança na Bahia é uma, a aliança nacional é outra. Não tem nada amarrado o apoio a Otto na Bahia ser uma troca de apoio nacional. Cada estado tem uma peculiaridade e não podemos achar que todos pensam iguais”, indicou.

 

VICE

Por enquanto, há um acordo para que o PP apresente o nome para ocupar a vaga de vice na chapa agora formada por Otto como governador e Rui como senador, segundo o senador. “A priori, o PP indicaria a vice, já que Leão assumirá o governo por 9 meses e tem dois nomes que ventila-se, o deputado Ronaldo Carletto e também o ex-senador Roberto Muniz. Acredito que qualquer um desses dois nomes a Bahia será bem atendida”, sugeriu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*