Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

ALCKMIN DIZ QUE MARTA “É REFORÇO IMPORTANTE PARA A OPOSIÇÃO”

Publicado em: 28/4/2015
:

Na avaliação do governador Geraldo Alckmin (PSDB), a saída de Marta Suplicy do PT é uma “decisão importante do ponto de vista político”; “É sempre positivo. Ela é uma liderança importante, é senadora por São Paulo e foi prefeita da capital paulista”, disse Alckmin nesta terça-feira, 28; o tucano deu aval às negociações da senadora com o PSB para a disputa a Prefeitura de São Paulo no ano que vem; Em carta entregue aos diretórios da sigla, Marta faz críticas ao partido e afirma que o programa partidário do PT “nunca foi tão renegado pela própria agremiação”; o PT vai à Justiça reaver o mandato de senadora de Marta Suplicy.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) comemorou nesta terça-feira, 28, a desfiliação da senadora Marta Suplicy do PT. Para ele, é um “reforço importante” à oposição ao governo federal.

“É sempre positivo. Ela é uma liderança importante, é senadora por São Paulo e foi prefeita da capital paulista”, disse Alckmin, durante almoço-debate promovido com empresários pela revista “Exame”, na capital paulista.

Na avaliação do tucano, que deu aval às negociações da senadora com o PSB para a disputa a Prefeitura de São Paulo no ano que vem, a saída uma “decisão importante do ponto de vista político”.

Marta entregou nesta terça-feira (28) aos diretórios municipal, estadual e nacional em São Paulo seu pedido formal de desfiliação do partido. Em carta entregue aos diretórios da sigla, Marta faz críticas ao partido e afirma que o programa partidário do PT “nunca foi tão renegado pela própria agremiação de forma tão reiterada e persistente”.

Alckmin voltou a considerar que, neste momento, é precipitado apresentar um pedido de impeachment à presidente Dilma Rousseff (PT), como defende a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados.

“O importante neste momento é a investigação. Não pode tirar o foco da investigação. Esse deve ser o objetivo”, disse. Segundo ele, o foco neste momento da oposição ao governo federal não deve ser o impeachment, que pode ser consequência de um aprofundamento das investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. “Não é o objetivo fazer o impeachment. O objetivo é investigar. O impeachment pode ser conseqüência”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*