Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









Sem Wet, prefeitura busca espaços para UTIs Covid para evitar colapso da saúde em Salvador

Publicado em: 09/12/2020

por Matheus Caldas

Sem Wet, prefeitura busca espaços para UTIs Covid para evitar colapso da saúde em Salvador

Foto: Valter Pontes/Secom

Após o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), anunciar que, até 31 de dezembro, Salvador deve ter o mesmo número de leitos de UTI Covid-19 que havia no auge da pandemia (leia mais aqui), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) se mobiliza para abrir leitos em diferentes locais da cidade. Na projeção da gestão municipal, contudo, não é pensada a remontagem do hospital de campanha do Wet’n Wild, desativado no último mês.

 

O Bahia Notícias apurou com uma fonte ligada à SMS, em condição de anonimato, que podem ser abertas entre 10 e 20 leitos numa tenda a ser montada ao lado da UPA de Valéria. A prefeitura também estuda a instalação de mais 10 leitos no Hospital Salvador, além de ampliações no Sagrada Família, que pode ter 60 leitos – no auge da pandemia, eram 40.

 

A estimativa da pasta também é que, até a próxima sexta-feira (11), o Centro de Referência do Itaigara esteja funcionando em sua plena capacidade.

 

De acordo com a apuração do BN, podem ser abertos mais leitos clínicos num local a ser definido na Pituba – atualmente, estes estão 81% ocupados na capital baiana. Neste espaço, a gestão municipal pode abrir, ainda, outros 10 leitos de UTI.

 

A avaliação dentro da prefeitura, no entanto, é que todos os leitos não devem ser entregues até o último dia do ano. As festividades de Natal e Réveillon podem atrasar o planejamento.

 

EXTINÇÃO DO WET
A prefeitura vem adotando esta estratégia após complicações com o hospital de campanha montado no Wet. Segundo apurou a reportagem, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) vinha questionando as condições de trabalho no local, inclusive com instauração de inquérito, para apurar o atraso nos repasses salariais aos colaboradores. Internamente, havia críticas à Associação Saúde em Movimento (ASM), organização social (OS) que geriu a unidade hospitalar no período. De acordo com a apuração, a empresa tinha problemas, como atrasos na prestação de contas do hospital.

 

Procurado para repercutir sobre o assunto, o secretário municipal de Saúde, Leo Prates, confirmou a abertura de leitos no Sagrada Família, no Centro de Referência do Itaigara e no Salvador, mas não comentou sobre as críticas do MP-BA e da possibilidade de abertura de leitos em Valéria e na Pituba. “Nós estamos até o dia 20 de dezembro reabrindo 40 leitos de UTI. Serão 10 no Itaigara, voltando a sua plena capacidade, 20 no Sagrada Família, e 10 no Salvador, que o aditivo já está na Procuradoria. O prefeito determinou que a gente recomponha os leitos do ponto de vista da prefeitura. Estamos fazendo todo o esforço para apoiar o estado, mas também precisamos da colaboração da população”, disse, em entrevista ao BN.

 

Procurada pela reportagem, a ASM não atendeu às ligações até a publicação da matéria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*