Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









Sem prazo para volta da educação, aulas pela TV são dúvida para 2021 em Salvador

Publicado em: 11/12/2020

por Bruno Luiz / Matheus Caldas

Sem prazo para volta da educação, aulas pela TV são dúvida para 2021 em Salvador

Foto: Bruno Concha/ Secom PMS

Secretário municipal de Educação (Smed), Bruno Barral defendeu que o ensino remoto permaneça na rede pública de Salvador para o pós-pandemia. No entanto, até o momento, a prefeitura da capital baiana não possui uma definição sobre o tema. Isto, portanto, deve ficar a cargo de Bruno Reis (DEM), que inicia o mandato a partir de janeiro. 

 

Atualmente, a transmissão das aulas está sob responsabilidade da TV Aratu (leia mais aqui). O Diário Oficial do Município desta quinta-feira (10) traz a extensão do contrato entre a emissora e a prefeitura por mais trinta dias, entre 27 de novembro e 26 de dezembro. 

 

“A tendência é que a gente continue com a televisão auxiliando a recuperação do aprendizado. A televisão é uma boa ferramenta para isso. Mas a definição é do próximo prefeito. A tendência é se utilizar a TV para chegada de conteúdo como complemento de conteúdo que não chegou este ano”, explicou, em entrevista ao Bahia Notícias, ressaltando que, mesmo sem definição formal, há o intuito da pasta de que a modalidade permaneça após o fim da crise sanitária.

 

Na visão Barral, “o projeto está dando super certo”. “A gente sabe da necessidade do ensino remoto, e a TV é uma ótima ferramenta para isso. Depois que acabar a pandemia, entendo que o ensino híbrido deve chegar para recuperar essa parte, esse reforço, e a TV vai funcionar como uma boa ferramenta”, opinou.

 

A incerteza sobre a continuidade da transmissão das aulas na TV se dá em meio à transição no secretariado de ACM Neto (DEM) para Bruno. Enquanto ambos não falam oficialmente sobre como será a composição das pastas, não dá para garantir a permanência da atual equipe da Smed.

 

As aulas presenciais nas escolas da capital baiana – e em todo o estado – estão suspensas desde março, quando a Covid-19 iniciou a disseminação pelo Brasil. Desde então, alunos das redes municipal e estadual vêm sofrendo com as incertezas em relação ao retorno do ano letivo. Num momento em que a pandemia está em alta, a prefeitura não possui posicionamento sobre retorno presencial das aulas.

 

Na última segunda-feira (7), durante entrevista coletiva no Palácio Thomé de Souza, o prefeito ACM Neto indicou que não era momento de discutir sobre retorno às aulas num contexto de aumento no número de casos de coronavírus na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*