Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !



PROJETO DO DEPUTADO JOSÉ ROCHA-“TREINADORES” CÂMARA VAI DEBATER ALTERAÇÕES TRABALHISTAS PARA TREINADOES DE FUTEBOL

Publicado em: 15/5/2014

Audiencia Publica 1(1)Treinadores de futebol e auxiliares técnicos preparadores de goleiros vão passar a ter direito de imagem, contrato mínimo de seis meses, férias remuneradas e seguro de vida, além de recusa ao trabalho caso o atraso salarial supere dois meses. Essas são algumas das mudanças previstas no Projeto de Lei 7560/2014 apresentado pelo deputado Federal, José Rocha(PR-BA), na quarta(14).

O texto também permite que ex-atletas que atuaram por três anos consecutivos ou cinco alternados possam exercer a função de treinador ou auxiliar técnico preparador de goleiro, desde que façam curso de formação reconhecido pelo sindicato da categoria e chancelado pela Federação Brasileira de Treinadores de Futebol(FBTF). A legislação em vigor, Lei 8650/1993, só permite que sejam treinadores de futebol os portadores de diploma de educação física ou aqueles que exerciam a profissão seis meses antes, no mínimo, da sanção da lei em abril de 1993.

O deputado José Rocha reconhece que as mudanças propostas podem gerar polêmicas, mas afirma que é imprescindível atualizar a legislação para acompanhar a evolução do esporte. Segundo o deputado, treinadores e auxiliares técnicos necessitam do amparo da lei para atuar numa profissão marcada por elevada responsabilidade e permanente instabilidade. A Mesa Diretora da Câmara ainda não definiu por quais comissões temáticas da Casa o projeto vai tramitar.

 

 

 

PL 7560/14

 

– Permite ao ex-atleta ser Treinador ou Auxiliar Técnico Preparador de Goleiro, desde que comprove atuação por 3 anos consecutivos ou 5 alternados e faça curso de formação reconhecido pelo sindicato e chancelado pela FBTF

 

– Contrato de trabalho com prazo mínimo de 6 meses e máximo de 2 anos

 

– Direito de imagem assegurado em contrato de natureza civil, diferente do contrato de trabalho. O valor do contrato civil não pode ser superior a 25% do contrato de trabalho

 

– Direito à cláusula indenizatória, ao empregado ou empregador, em caso de demissão/saída imotivada correspondente ao total dos salários previstos até o final do contrato

 

– Acréscimo remuneratório para o período de concentração, viagem e pré-temporada, desde que previsto em contrato

 

– Abono de férias, 13º, gratificações, prêmios e demais verbas previstas no contrato serão entendidas como salário

 

– Férias remuneradas de 30 dias coincidentes com o recesso das atividades

 

– Jornada de trabalho de 44 horas semanais

 

– Direito de recusa ao trabalho, caso atraso salarial supere 2 meses

 

– Direito à rescisão do contrato, caso o atraso salarial supere 3 meses, ficando assegurada cláusula indenizatória e demais haveres na justiça

 

– Criação dos conselhos estaduais e Federal de treinadores

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*