Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









O legado de Gerson Bonfantti à frente da Prefeitura de Formosa do Rio Preto

Publicado em: 19/1/2017

gerson-geral

Secretaria de Desenvolvimento, Indústria e Comércio: implantação do Distrito Industrial tem primeiros projetos

O Distrito Industrial de Formosa do Rio Preto será construído em uma área de 57 hectares na rodovia BR 135, quatro quilômetros após a entrada da cidade no sentido do Piauí.
Ao todo serão 18 lotes empresariais, com metragem que varia entre 0,9416 hectare a 2,6190 hectares para implantação de indústrias relacionadas ao agronegócio, cerâmica, têxtil, madeira, pré-moldados, química, laticínios e produtos da agricultura familiar. A construção destes lotes ocupará uma área de 570.000m², o que corresponde a 83,22% da área total do distrito.
gestao-1
O restante da área será ocupado para preservação ambiental (11,4905ha). Ainda no projeto consta previsão de vias de acesso e circulação e poderá dispor no futuro de lotes institucionais com restaurante, biblioteca, auditório, salas de treinamento, agências bancárias e lojas de conveniência, além de uma Unidade de Saúde para atender os funcionários das empresas, creche comunitária e um posto policial que garantirá a segurança das empresas e seus funcionários.
Na área da indústria da cerâmica, o prefeito Gerson Bonfantti chegou a propor às quatro empresas estabelecidas no Município uma cooperativa, pois teriam mais condições para contratar com os órgãos de incentivo à produção e ao emprego e consequente expansão do negócio. Segundo o prefeito, a Prefeitura pode ajudar com equipamentos para a lavra e transporte da matéria prima.

Secretaria de Agricultura e Combate a Seca: medidas práticas trouxeram água para várias comunidades

Para reduzir o custo na distribuição de água, a prefeitura adquiriu bombas de poços artesianos para diversas comunidades e realizou adequações e reparos em toda a rede de distribuição e no sistema dos poços artesianos beneficiando 16 comunidades rurais de Formosa do Rio Preto.
agricultura-1
agricultura-2
A comunidade das Intans, região rural castigada pela falta de água e dependente de carros pipa, recebeu no dia 24 de novembro um poço artesiano com profundidade de 150 metros, 8.000 litros de vasão/hora e uma caixa d’agua com capacidade de armazenamento de 20.000 litros. Para a instalação do equipamento, a Secretaria de Agricultura comprou canos, cabeamento elétrico, bomba submersa, rede elétrica e postes, quadro de comando elétrico c/ chave de proteção. Foi feita ainda a limpeza geral no poço o que possibilitou o fornecimento aos moradores de água potável.
Outra obra de grande impacto aconteceu na Associação Novo Horizonte, onde ocorreu a substituição da adutora que faz a captação de água do Rio Preto. A anterior, funcionava abaixo das necessidades da comunidade uma vez que possuía a capacidade de apenas 60 milímetros. A atual por ter recebido tubulação adequada, ampliou a oferta de água em mais de 40%, bombeando 110 milímetros de água por hora.
No último dia 26 de dezembro, foi a vez das famílias do bairro Barreiro Preto receberem a instalação de uma bomba de sucção com capacidade de vazão de 25.000 litros por hora que abastecerá uma caixa d’agua já existente que armazena 50.000 litros.
Segundo o secretário de Agricultura, Eronildes Salustiano Batalha, o investimento feito pela prefeitura é baixo se comparado com o benefício social: “Esse sistema de água atende o Barreiro Preto, bairro Progresso (antigo Peba), bairro Projeto e a Vila Santa Maria. A bomba anterior funcionava durante 13 horas diárias e não conseguia encher a capacidade da caixa. Agora com 8 horas essa caixa de 50.000 litros estará 100% cheia.”
Com essas ações desenvolvidas pelo governo do prefeito Gerson Bonfantti o município está economizando mais de R$ 50 mil reais somente com a distribuição de água. Só para citar um exemplo, antes de Gerson Bonfantti assumir a administração municipal, na comunidade do Pavão, a população encontrava-se há mais de 30 dias sem água, bastando um investimento de apenas R$ 42,00 para regularizar o sistema de água – um verdadeiro descaso da gestão anterior com a população local. Outro caso semelhante acontecia na comunidade do Arroz: mesmo com um sistema de água instalado pela CERB há algum tempo, cerca de 500 famílias (aproximadamente 2.000) pessoas estavam sem água por quase um mês pela falta de contratação de um profissional local para fazer a ligação do sistema. Em pouco mais de uma hora após assumir, o prefeito Gerson fez com que a partir de uma simples medida chegasse água nas torneiras de todas as residências locais. Essa contratação do profissional não onerou o município, tudo foi custeado pela CERB.
Apoio ao Pequeno Agricultor
Tido como a “menina dos olhos” do governo de Gerson Bonfantti, o Programa de Aração de Terras, Preparação de Solo para Plantio destinado aos pequenos e micro produtores atendeu aproximadamente 1.250 propriedades com 21 tratores que executaram cerca de 3.500 horas.
O governo do prefeito Gerson Bonfantti, utilizando-se de seriedade com o dinheiro público, investiu R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) com a contratação de 21 tratores que atendeu quase 90% da demanda no município enquanto o prefeito anterior consumiu R$ 1.638.000,00 (um milhão, seiscentos e trinta e oito mil reais) sem que contemplasse todas as comunidades de forma imparcial e efetiva.
Essa aração foi feita indistintamente através de um cadastro isento e atendeu a todos livre de quaisquer vínculos ou critérios político-partidários.
Abaixo a relação das comunidades atendidas
Pajeú, Gameleira, Assentamento Pavão, Canabrava, Costa, Angico, Cachoeirinha, Caraíba Grande, Malhadinha, Rio Seco, Santana, Brejo, Estreito, Arroz da Malhadinha, Pitombeira, Capivara, Pedras, Mucambo Grande, Lagoa do Seu Zé, Olho D’agua de Dalú, Pé de Galinha, Rochedo, Vereda do Mato, Timbozinho, Lapa, Tabocas, Aldeia de Dentro, Aldeia, Olha D’agua do Zuquinha, Sucuriú, Ouro, Riachão do Ouro, Caju, Cavalo Morto, Araçás, Arroz de Cima, Lagoinha, Arroz de Baixo, Angico/Areal, Vereda do Meio, Mato Grosso, São Marcelo, Buriti, Barreiro Preto, Lagoa de Pé, Morrinhos, Canadá, Assentamento São Benedito, Tábuas, Intans, Buritizinho, Lagoa de Cima, Passagem da Areia, Inhumas, Peri-Peri, Vazante, Serrito, Retiro, Caraíbas de Marlene, Gavião, Vargem de Dentro, Largo, São João, Pinto, Taboca, Barreiro Branco, Brejinho, Assentamento Formosa e Assentamento Novo Horizonte.
Curso de Apicultura
No dia 13 de dezembro, a prefeitura de Formosa do Rio Preto através da Secretaria de Agricultura e Combate a Seca concluiu o primeiro curso de apicultura realizado no município. A formação ocorreu entre os dias 10 e 13 e beneficiou moradores da comunidade rural do Ouro e localidades circunvizinhas. O curso que vai resultar em ganhos ambientas e econômicos para pequenos produtores foi ministrado pelo técnico da Fazenda Estrondo Samuel Dias. O ato simbólico de encerramento dos estudos contou com as presenças de várias autoridades, dentre as quais o prefeito Gerson Bonfantti, o vereador Meletinha, o secretário de Agricultura, Eronildes Batalha, o secretário de Meio Ambiente, José Arnaldo e o administrador da Estrondo, Daniel Ferraz
FONTE: O EXPRESSO LEM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*