Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !







INVESTIMENTOS MANTÊM CRESCIMENTO DA ECONOMIA BAIANA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

Publicado em: 03/9/2013

1184769_669459826397860_820917731_n
A Bahia se mantém como a maior economia da região Nordeste, com alta de 4% no Produto Interno Bruto (PIB), registrado no segundo trimestre de 2013, em relação ao mesmo período do ano anterior. Divulgado na última semana, o crescimento acima dos 3,3% do PIB nacional é resultado da atração de investimentos para os setores de agropecuária, indústria e serviços no estado. Os números foram apurados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

A projeção da SEI é que o estado feche o ano crescendo 2,5%, índice superior aos 2,2% estimados para o PIB brasileiro. Outro indicador, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) aponta crescimento de 6,1% em 2013 para a economia baiana, acima de Ceará (3,4%) e Pernambuco (1,8%). O acumulado para a região registrado no primeiro semestre foi de 4,2%, enquanto que o índice do país ficou em 2,9%.

Base produtiva

O PIB estadual subiu de R$ 96,6 bilhões, em 2006, para R$ 181 Bilhões em 2012, segundo os dados mais recentes da SEI. Para o secretário do Planejamento, José Sergio Gabrielli, o crescimento é fruto de uma política de atração de investimentos e da valorização do setor produtivo. “Do ponto de vista estrutural, a política de atração de investimentos reflete no aumento da base produtiva e, consequentemente, nos indicadores. Esse resultado poderia ser ainda melhor, se o IBGE tivesse catalogado os investimentos recentes, como por exemplo, o pólo acrílico”.

Entre 2007 e 2013, 90 novas indústrias foram implantadas no estado, sendo 55 em Salvador e Região Metropolitana (RMS) e 35 no interior, que juntas geraram 34 mil novos empregos. Dos R$ 7 bilhões investidos, 46% correspondem à instalação de empreendimentos em municípios fora da RMS. Já as empresas ampliadas foram responsáveis pela criação de 31,6 mil postos de trabalho, com investimentos de R$ 5,6 bilhões. Somando as 91 indústrias em fase de implantação e ampliação, serão investidos mais R$ 37 bilhões.

Interiorização da indústria é um dos destaques

A atração de investimentos privados e a interiorização da indústria são responsáveis pela consolidação do desenvolvimento em todo o território baiano, o que resulta em números como o do saldo de 32 mil novos postos de trabalho, registrado no primeiro semestre deste ano, mantendo a Bahia na liderança do da geração de empregos no Nordeste.

“Neste período, a participação do interior do estado contribuiu com mais do que o triplo da criação de postos de trabalho da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Enquanto o interior criou 24.219, a RMS criou 7.777 novos postos de trabalho com carteira assinada”, destaca o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia.

De acordo com a SEI, de abril a junho deste ano, a indústria baiana (transformação, extrativa, construção civil, produção e distribuição de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana) apresentou crescimento de 6,5% na comparação com o mesmo período de 2012. Já nos primeiros seis meses do ano, o crescimento do setor foi de 5,5%.

Serviços

O setor de serviços cresceu 3,1% no segundo trimestre de 2013, acumulando, no primeiro semestre, expansão de 2,5%, com destaque para o segmento do comércio, que registrou alta de 3,5%. Logo em seguida, aparecem as atividades de transporte de cargas e passageiros, com 3,3%, e administração pública – principal atividade da economia baiana – com expansão de 2,5%.

Devido à seca que há dois anos atinge a Bahia, o setor agrícola apontou retração de 3,9% entre abril e junho. A chuva em algumas áreas possibilitou resultado positivo na primeira safra do feijão em relação a 2012 e na colheita do café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*