Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !



EDUARDO SALLES DEIXA SEAGRI E CHEFE DE GABINETE ASSUME; AGRICULTURA CONTINUA COM O PP

Publicado em: 07/1/2014

images
O secretário estadual de Agricultura, Eduardo Salles (PP), vai deixar o comando da pasta na data limite definida pelo governador Jaques Wagner (PT), o dia 15 de janeiro. No entanto, o Partido Progressista continuará no comando do órgão, já que a indicação feita a Wagner foi aceita. O cargo de secretário ficará com o atual chefe de gabinete, o ex-deputado federal Jairo Carneiro, que também é do PP. O superintendente de Atração de Investimento da Seagri, Jairo Vaz, passará a ser o chefe de gabinete. “Foi o que o partido indicou para o governador, a substituição dessa forma, e ele [Wagner] aceitou”, afirmou Salles em entrevista ao Bahia Notícias. Ele sai da pasta de Agricultura para tentar chegar a Assembleia Legislativa da Bahia, disputa que travou e perdeu em 2006. O pepista aposta na chance de ser o representante do “homem do campo”. “Estou saindo para maratona de candidato a deputado estadual. Na Assembleia temos 63 deputados e vemos que cada segmento tem o seu representante oficial: petroleiros, rodoviários, eletricitários, bancários, dois que representam a policia… Enfim, uma série de atividade e a nossa bandeira é que tenha um que defenda o homem do campo, o setor agropecuário, desde a agricultura familiar até a empresarial, com um conhecimento básico disso”, declarou o também engenheiro agrônomo. Eduardo Salles voltará para a iniciativa privada, enquanto trabalha “efetivamente com o momento político”, enquanto também vai tratar das alianças necessárias para ser eleito. “Eu vou começar a campanha agora. Já fui candidato a deputado estadual em 2006 e tive 17 mil votos, mas não tinha [o apoio de] prefeitos, vereador ou recursos. Os mais experientes achavam que eu não teria cinco mil. Com dois mil a mais, Sérgio Passos foi eleito deputado pelo PSDB. Isso prova que segmento agropecuário queria um representante. […] Rodei os 302 municípios da Bahia nesses três anos e meio. Nos momentos mais difíceis da agropecuária eu não estava acomodado no ar condicionado na secretaria”, avaliou Salles, que preferiu não numerar o que já conquistou de apoio no interior baiano. Para o titular da Seagri, a continuação do PP na Agricultura sinaliza que os pepistas ficarão sim na base do governo, mas ele também adota o discurso de que a legenda “merece” indicar o candidato a vice-governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*