Maia deve rejeitar todos os pedidos de impeachment, diz vice-líder do governo

Publicado em: 19/05/2017

por Idiana Tomazelli, Carla Araújo e Tânia Monteiro | Estadão Contéudo

Maia deve rejeitar todos os pedidos de impeachment, diz vice-líder do governo

Foto: Lula Marques/ Agência PT

O vice-líder do governo na Câmara, Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse nesta quinta-feira, 18, que o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve rejeitar todos os pedidos de abertura de processo de impeachment contra o presidente Michel Temer. É prerrogativa de Maia analisar a admissibilidade dos pedidos. “Ele, com certeza, vai rejeitar todos os pedidos”, disse Perondi. O peemedebista afirmou ainda que o questionamento de aliados é normal, mas que Temer é habilidoso no diálogo com parlamentares. Sobre o PSDB especificamente, Perondi disse que “éóbvio que o partido tem dúvida, mas está firme no governo”. “É o Brasil dos novos tempos.” Mesmo que os tucanos desembarquem do governo Temer, Perondi garantiu que o PMDB seguirá no poder. Um dos parlamentares mais próximos ao presidente, Perondi disse ainda que Temer está indignado com as acusações e angustiado. “Como não ficar angustiado num momento desses?”, questionou. O vice-líder do governo na Câmara chamou o empresário Joesley Batista de “moleque” e “brasileiro escroto”. Joesley Batista, um dos donos da JBS, gravou conversa com Temer em que o presidente teria dado o aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nas investigações da Operação Lava Jato. “Ele é um moleque, um brasileiro escroto”, disse Perondi, logo após o pronunciamento do presidente, que afastou a possibilidade de renúncia ao cargo. De acordo com o vice-líder do governo na Câmara, Temer sequer cogitou a hipótese de deixar o posto. “Parece-me que ele tentou comprar a República”, acrescentou, buscando ligar Joesley aos governos do PT. Perondi afirmou que o andamento das reformas trabalhista e da Previdência não muda e que elas são uma necessidade. “Estamos quase chegando aos números para aprovar a reforma da Previdência na Câmara”, ressaltou. “Talvez, as reformas ameacem os poderosos”, acrescentou. Nesta quinta-feira mais cedo, porém, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) suspendeu o calendário da reforma trabalhista. A previsão era apresentar o relatório na terça-feira, 23. “Isso é normal, a reforma trabalhista vai atrasar só um pouquinho”, afirmou o vice-líder do governo na Câmara. Perondi buscou explicar como Joesley Batista se reuniu com Temer no Palácio do Jaburu, conforme mostraram as delações e foi confirmado pelo presidente nesta quarta-feira em nota oficial e nesta quinta em pronunciamento. “Esse empresário tentou agenda com Temer durante 60 dias e ele não quis recebê-lo. Aí, ele descobriu o telefone particular de Temer”, disse. “Ele atendeu, Temer atende a todos. Gentil que é, ele disse: ‘Venha cá’. Com certeza, foi uma cilada”, continuou.

Participe ! Deixe seu comentário !

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*