Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

PELO MENOS QUATRO PARTIDOS DA BASE DE NETO MOSTRARAM INTERESSE NA FILIAÇÃO DE NILO

Publicado em: 24/2/2022

De saída da base governista estadual, o deputado federal Marcelo Nilo (PSB) negocia com pelo menos quatro partidos da base de apoio do pré-candidato ao Governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil). De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, MDB, Republicanos, Solidariedade e PDT já teriam se oferecido para filiar o parlamentar. O PV, apesar de ter manifestado estar disponível para Nilo (lembre aqui), não teria procurado o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA).

 

Apesar do cortejo, Nilo deve encontrar resistência para realizar seu sonho de concorrer ao Senado. Além de ser nome novo na oposição, alguns partidos já teriam sinalizado outros planos para além do ainda socialista. Entre os partidos citados, o Solidariedade e o MDB são os que tem a menor probabilidade de aceitar Nilo.

 

O presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, se aproximou do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no cenário nacional e já indicou que o partido deve fazer parte do arco de aliança dos petistas na Bahia. Uma possibilidade levantada nos bastidores é de que o partido seja a nova casa de Bacelar, que está de saída do Podemos (veja aqui).

 

Já interlocutores do MDB deixaram claro que a filiação dele seria uma “peça de ficção científica”. Inclusive, o partido teria condicionado a participação na chapa de Neto à indicação de um “emedebista-nativo” (lembre aqui).

 

Por sua vez, o Republicanos deixou as portas abertas para a chegada de Nilo. Em entrevista recente, embora tenha claro que não existe nenhuma definição concreta sobre candidaturas ao Senado, o presidente do partido na Bahia, Márcio Marinho, também disse que o deutado federal é uma forte liderança e grande figura política do estado da Bahia e que “qualquer partido se engrandeceria com a presença dele e o Republicanos da mesma forma”.

 

O desembarque do ainda socialista no PDT também estaria facilitado. Conforme o próprio Nilo informou ao Bahia Notícias, as diferenças entre ele e o presidente pedetista na Bahia, Félix Mendonça Jr., já foram superadas.

 

“Tivemos um problema há 10 anos, mas já foi superado. Ele é um empresário que sempre votou aqui na Câmara [dos Deputados] a favor do trabalhador. Isso eu venho dizendo há muitos meses não é agora não”, disse.

 

MARCELINHO

Uma questão que ainda não está pacificada é a situação do deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB). Apadrinhado político e genro de Marcelo Nilo, o jovem parlamentar ainda não decidiu se permanece na base de apoio do governador Rui Costa ou se segue para a oposição.

 

“É uma pessoa que está muito bem como parlamentar. Nós temos conversado muito e tudo que nós temos feito é de comum acordo. Agora a decisão de me acompanhar ou não será exclusiva dele. Tenho quase certeza que ele seguirá comigo”, afirmou Nilo.

 

A reportagem tentou entrar em contato com Marcelinho, mas não obteve retorno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*