Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









PADRE ASSUME PREFEITURA E É PROIBIDO DE CELEBRAR MISSA

Publicado em: 19/7/2015
O padre Valmir Lima precisou deixar o sacerdócio para assumir a prefeitura de Picos, cidade localizada a 306 km de Teresina, no Piauí, e agora nem mesmo sacramentos ele pode celebrar. Lima serviu como padre por 11 anos e foi eleito como vice-prefeito da cidade. Porém o prefeito eleito largou o cargo para assumir o trabalho de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o padre, como vice, ficou com a função.

Uma decisão da Diocese da cidade de 2012 impede que o religioso que entrar para a política continue exercendo o sacerdócio e por isso Lima não pode celebrar missa, casamento e batizado desde que decidiu sair como candidato. “O bispo diocesano executou uma orientação da igreja do Brasil determinando que os sacerdotes que postulam cargos no município ou espera do estado são suspenso de ordem, isto é, continuam sacerdote, mas não exercem o Ministério ou fazem atividades públicas em nome da igreja católica”, explicou o vigário geral de Picos, Flávio Santos, ao G1.
Valmir Lima entende a posição da igreja, mas afirma que se colocou a prova para viver o que pregava na missa atuando na política. “A igreja diz que somos chamados a servir, estar junto ao povo, mas sem se envolver na política. Eu abracei o desafio de não deixar de ser honesto sendo político, caridoso, ser servo e responsável simplesmente porque tenho envolvido na política. A gente prega tudo isso sem se colocar a prova e eu me coloquei a prova”.
A rotina do padre mudou completamente, ele não atende mais as pessoas na igreja, mas em seu gabinete recebe muitos dos munícipes sempre pensando nas comunidades. Apesar de cumprir seu papel como prefeito há um mês, os moradores de Picos ainda não se acostumaram em ter um prefeito padre, os fiéis da igreja até eram contra a entrada do padre na política, mas hoje já o apoiam. “No início nós não queríamos isso, mas já que ele estar. Agora temos que apoiar”, disse a dona de casa Dona Linsaura Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*