Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

O CERCO ESTÁ FECHANDO

Publicado em: 02/8/2015

Barra

Ex-prefeitos devem quase R$ 1 milhão

Na ultima terça feira, 28 de julho, o site Bahia Noticias, publicou uma matéria intitulada “Gestores e ex-gestores acumulam débitos de R$ 642 milhões com cofres municipais na Bahia”.

A matéria refere-se a um levantamento realizado pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que mostra débitos de mais de R$ 642 milhões em multas e ressarcimentos, que prefeitos, ex-prefeitos, presidentes de câmaras e gestores de órgãos públicos municipais terão que devolver aos cofres públicos.

Na região Oeste da Bahia, muitos nomes conhecidos aparecem nessa relação e o valor é altamente significativo. Num momento em que a crise assola o país, não seria a hora do estado, no uso do seu direito, cobrar esse montante já que o recurso pertence ao povo, que na verdade sente falta desse dinheiro, na saúde, na educação e em tantos outros serviços essenciais e que “choram” esses desvios ou má aplicação, nas filas dos hospitais e até mesmo na falta de medicação básica?

Os operadores da Lava Jato, presos e obrigados pela justiça, começam a devolver milhões desviados da Petrobras. Não seria a hora de a justiça cobrar desses políticos, o montante desviado? Essa é uma pergunta que toda a Bahia faz nesse momento.  Vivemos um período de maior estiagem em todo o estado, dezenas e dezenas de municípios estão estado de calamidade e em alguns deles, pessoas já passam fome.

Aleatoriamente, pegamos na extensa lista do Tribunal de Contas, alguns nomes da região, que devem ao “povo” grande parte desses recursos. Em alguns municípios, como Luiz Eduardo Magalhães e Barreiras, aparecem nomes como Humberto Santa Cruz, Antônio Henrique e da ex-prefeita Jusmari, porém, com débitos de valores insignificantes.

Já outros municípios com menor população e menos recursos, aparecem ex-prefeitos com débitos acima dos cem mil reais, a exemplo do ex-prefeito de Barra, Antonio dos Santos, mais de R$ 800 mil,  e Roberval Alves de Souza, ex-prefeito de Ibotirama, com cerca de R$ 150 mil .

Os débitos mais antigos registrados pelo órgão datam de 2000 e, segundo o TCM, não foram pagos aos cofres dos municípios. A quem cabe cobrar esses débitos? Essa é a pergunta que o povo baiano faz no momento e espera uma resposta. Já existe, inclusive, a formação de um movimento popular na região sul do Estado, onde representantes de todos os municípios, em caravana e em praça pública estarão cobrando de cidade em cidade, o ressarcimento do dinheiro público. Vai que cola!

Fonte:www.zda.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*