Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









Inflação na RMS sobe 0,63% em novembro; alimentos, bebidas e gasolina puxam alta

Publicado em: 24/11/2020
Inflação na RMS sobe 0,63% em novembro; alimentos, bebidas e gasolina puxam alta

Foto: Agência Brasil / EBC

A inflação na Região Metropolitana de Salvador (RMS) cresceu 0,63% em novembro. O dado é do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e divulgado nesta terça-feira (24). O IPCA-15 funciona como uma prévia da inflação oficial do mês.

 

Foi a maior prévia da inflação de novembro para a RMS desde 2015, quando o índice ficou em 0,88%. Ainda assim, o indicador ficou mais uma vez abaixo da média registrada em todo o país, de 0,81%, e foi o terceiro menor entre as 11 áreas pesquisadas separadamente, acima apenas do registrado nas regiões metropolitanas de Recife (PE) (0,31%) e Rio de Janeiro (RJ) (0,46%).

 

O IPCA-15 deste mês mostra tendência de aceleração na alta de preços na região, já que avançou em relação ao registrado em outubro, quando houve alta de 0,43%. O índice também é maior do que o de novembro de 2019 (0,01%). No acumulado de janeiro a novembro de 2020, o IPCA-15 da RMS acelerou para 2,92% (havia ficado em 2,27% em outubro).

 

Segundo o IBGE, com maior aumento (1,75%), o grupo de alimentação e bebidas foi o maior responsável por pressionar a alta do indicador. Em seguida, vieram os transportes, que tiveram o terceiro maior índice em novembro (0,90%).

 

O grupo dos alimentos consumidos em casa também puxaram a inflação para (2,36%). Os maiores aumentos foram da batata-inglesa (42,29%, maior alta dentre todos os produtos pesquisados), do tomate (18,45%), do arroz (7,37%) e do óleo de soja (14,03%). Esses quatro itens lideram, com os maiores aumentos acumulados no ano (65,51%, 110,17%, 56,23% e 91,44%, respectivamente).

 

Mas o item individual que mais contribuiu para aceleração do IPCA-15 de novembro foi a gasolina (1,63%), que aumentou depois de duas deflações seguidas (-2,66% em setembro e -5,87% em outubro). Habitação (-0,19%) e vestuário (-0,15%) foram os dois grupos com deflação no IPCA-15 de novembro, na RMS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*