Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

FORMOSA DO RIO PRETO:JABES JUNIOR PODE SER CASSADO PELA TERCEIRA VEZ

Publicado em: 17/8/2015

Ministério Público dá parecer pela cassação do mandato do Prefeito de Formosa do Rio Preto por abuso de poder econômico e compra de votos.

Jabes Júnior em foto publicada no jornal Gazeta do Oeste

O Promotor André Garcia emitiu, na última quarta-feira (12/08), parecer na Ação de Investigação Judicial Eleitoral n. 222/2012, opinando pela cassação do mandato do atual prefeito Jabes Junior. A ação foi proposta pelo segundo colocado nas últimas eleições, Bira Lisboa, que perdeu a eleição por uma diferença de apenas 251 votos e visa apurar irregularidades na distribuição de materiais de construção em troca de votos e, principalmente a oferta de dinheiro e cargos públicos à eleitora Nice do Acarajé.

O doutor André concluiu que está configurada a captação ilegal de sufrágios (compra de votos) com base em inúmeros documentos apreendidos nas Cerâmicas Paraiba e Itajui, empresas ligadas ao Prefeito.

O abuso de poder econômico restou comprovada na tentativa dos então candidatos em convencer a eleitora e candidata à vereador da Coligacão de Bira Lisboa, Nice do Acarajé, a mudar de posição política em troca de valores em dinheiro e promessas de emprego público e em empresas privadas. Essa promessa foi registrada em gravação de áudio que foi considerada legal e livre de qualquer edição, conforme laudo pericial feito por especialista.
Com isso. pediu a cassação do mandato e a inelegibilidades do prefeito e de seu vice por 8 anos.

O processo agora vai para Juízo para sentença. Com isso Jabes Junior pode perder o mandato pela terceira vez.
É que o alcaide já foi cassado antes por compra de votos na AIJE 249/2012, que acabou se safando no TRE em 2014. Também perdeu o mandato por sentença proferida na AIJE 248/2012, que apurou irregularidades na distribuição de materiais de construção e cestas básicas no ano do pleito através de programa irregular e sem a execução orçamentária no ano anterior, bem como compra de votos de 3 eleitores em troca de benefícios irregulares.

O gestor entrou com recurso e o processo está com julgamento marcado para hoje, segunda-feira, dia 17/08 no TRE da Bahia. Neste processo o Procurador Regional Eleitoral já opinou pela manutenção da cassacão e a posse imediata do segundo colocado Bira Lisboa.

FONTE: O EXPRESSO LEM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*