Bem Vindo ao Correio do Oeste - 9 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !

FORMOSA DO RIO PRETO: INVASÃO DAS CASAS POPULARES-JABES JR EMPURRA RESPONSABILIDADE PARA O MPF

Publicado em: 09/8/2015
Casas-populares-Formosa-do-Rio-Preto
INVASÃO DE CASA POPULARES – Prefeito Jabes Junior empurra responsabilidade para o Ministério Público Federal

Há duas semanas pessoas invadiram casas populares abandonadas em Formosa do Rio Preto. O Prefeito Jabes Júnior, que está com a popularidade em baixa por conta de sucessivas denúncias de corrupção em seu governo, anda fazendo um verdadeiro malabarismo para tirar proveito dessa crise. Ele não quer desagradar os beneficiários dos programas habitacionais nem os invasores, em sua grande maioria pessoas que foram preteridas por conta de perseguições políticas.
Ele praticamente sumiu de Formosa, deixando assessores despreparados para conduzirem uma encenação perante os eleitores.

Quando está na presença das pessoas que invadiram as casas fala que vão resolver o problema com fornecimento de água e cestas básicas. Mas nos bastidores busca convencer o Ministério Público Estadual e Federal para que tais Órgãos adotem medidas judiciais para desocupar o empreendimento.
O Prefeito declarou ao blog ZDA em nota publicado na última terça-feira, dia 03/08 (http://zda.com.br/prefeito-fala-da-ocupacao-de-casas-em-formosa-do-rio-preto/) que “…que comunicou ao Ministério Público da Bahia e à Procuradoria da República sobre a ocupação do empreendimento e pediu providências”, segundo blogueiro.

Com isso o Prefeito tenta transferir sua responsabilidade em resolver o problema para o Órgão que deveria justamente investigar as causas de atraso e as denúncias de irregularidades e desvio de recursos na condução do empreendimento. Pessoas que invadiram reclamam que as casas foram distribuídas de acordo com a preferência política dos cidadãos à época. “Quem não era do lado do Prefeito não ganhava”, afirma um dos invasores que não quis se identificar com medo de retaliações.

Pois é, agora o prefeito, que deu causa ao problema, tenta transferir sua responsabilidade para o Ministério Público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*