Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









FILME DE DIRETOR IBOTIRAMENSE CONQUISTA PRÊMIO NO CENÁRIO NACIONAL

Publicado em: 28/11/2016

13130017_1736335459912309_1440666458_n

O filme Grão de Arroz, do diretor ibotiramense Son Araújo, foi premiado no 14º Festival Cineamazônia pela competição para curta e média metragem.

Emoção foi a palavra mais repetida para definir o sentimento que tomou conta da noite de encerramento da 14ª edição do Cineamazônia, no sábado, 26\11, no Teatro Banzeiros, em Porto Velho. A homenagem da coordenação do festival a Milton Gonçalves fez com que o velho ator de 82 anos fosse às lágrimas. Emocionado, Milton dedicou a noite à mulher Oda, ‘que está no andar de cima’, como definiu o homenageado e a outros parentes mortos. “Estão todos aqui comigo nesse momento”, disse ao receber o troféu Mapinguari das mãos do poeta Carlos Moreira.

Além da homenagem à Milton, foram entregues os quinze troféus Mapinguari para os vencedores da mostra competitiva. Haviam sido selecionados 44 filmes para disputar os prêmios, de um total de cerca de 400 produções inscritas, entre longas e curta-metragens. Os filmes foram exibidos nos dias 23, 24 e 25 de novembro.

img_6226-768x512

A coordenação do Cineamazônia também homenageou o líder cubano Fidel Castro, morto na manhã do dia de encerramento do festival. Trechos de um discurso histórico de Fidel na Organização das Nações Unidas foram mostrados, tendo imagens de um filme que aborda os confrontos entre manifestantes contra os líderes do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo.

O ator Marcos Winter, mestre de cerimônias de todo o festival enfatizou que o mundo ficava um pouco mais ‘burro’ com a morte de Fidel. Fidel ainda seria lembrado em pelo mais duas falas ao longo da noite.

Antes da premiação foram chamados ao palco o cineasta Gustavo Spolidoro e a fotógrafa e jornalista Bete Bullara, que ministraram oficinas ao longo da semana. Spolidoro mostrando as possibilidades de se produzir cinema com pouco ou quase nenhum recurso e Bete Bullara discutindo como se pode usar o cinema como ferramenta educacional em sala de aula.

Em seguida foi a vez dos cinco jurados subirem ao palco para falar um pouco a respeito do processo de escolha dos vencedores da edição 2016. Sergio Santeiro, Gustavo Ballesté, Juan Carlos Crespo, Gustavo Spolidoro e Chico Faganello enfatizaram a qualidade e diversidade das produções apresentadas no festival.

Foi a introdução para que Marcos Winter anunciasse os vencedores da 14ª edição. Os troféus eram entregues a representantes dos ganhadores, já que a maioria não estava presente ao festival. Uma das exceções foi Son Araújo, o vencedor do Prêmio Vitor Hugo, melhor ficção com o filme Grãos De Arroz. Morando na Bahia, mas rondoniense de origem, Araújo disse que era uma emoção especial ter seu primeiro filme premiado na terra natal.

premiados-3-768x713

Mas o que a noite ainda reservaria de mais emocionante estava reservada a Milton Gonçalves. Logo depois da premiação Marcos Winter iniciou o discurso de homenagem ao ator. Enfatizando a importância de Milton Gonçalves para a cultura e para a política brasileiras, Winter emocionou Milton ao relembrar episódios da trajetória do ator mineiro de nascimento e carioca por opção. Falou do casamento, dos filhos e netos, da pobreza inicial, dos primeiros anos como ator, do reconhecimento na profissão e da participação de Milton em episódios marcantes da vida nacional, como o engajamento no Movimento Diretas Já.

img_6143-768x582

Milton subiu ao palco e, com a voz embargada, agradeceu a homenagem e lembrou as pessoas queridas que já haviam ‘partido’ e falou um pouco da própria trajetória. O ator foi aplaudido de pé, levando muitos presentes às lágrimas.

A noite foi encerrada com um show em grande estilo do contrabaixista Arthur Maia, que fez uma apresentação memorável, com participação de Bado, misturando músicas instrumentais com outras cantadas. Ao final, pôs todo mundo para dançar ao som de uma salsa aos pedidos de bis.

Cineamazonia, 14a EDIÇÃO, tem o patrocínio do BNDES, Governo Federal, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet. Apoio Cultural da Prefeitura de Porto Velho, Sejucel e Unir – Universidade Federal de Rondônia.

Do Tribuna do Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*