Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !







Celulares e facões são apreendidos em cela usada por líder de facção em Salvador

Publicado em: 23/7/2020
Celulares e facões são apreendidos em cela usada por líder de facção em Salvador

Foto: Alberto Maraux / SSP-BA

Com a Operação “Tolerância Zero”, deflagrada na noite dessa quarta-feira (22), as secretarias da Segurança Pública (SSP-BA) e de Administração Prisional e Ressocialização (Seap-BA) da Bahia apreenderam celulares, facões, dinheiro e porções de maconha na Penitenciária Lemos Brito, em Salvador. Os materiais ilícitos estavam em celas utilizadas por um detento, apontado como líder de uma facção criminosa.

 

Um mandado de busca e apreensão, solicitado pela 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Senhor de Bonfim) foi cumprido contra o criminoso, que é envolvido com tráfico de drogas e homicídios nas cidades de Senhor do Bonfim e Campo Formoso. Toda a ação no sistema prisional foi coordenada pelo Grupo de Segurança Institucional (GSI/Seap).

 

De acordo com a SSP-BA, dentro das celas, no pavilhão V, equipes do Depin (Cati), da 19ª Coorpin, do Batalhão de Guardas e do GSI encontraram oito celulares, um deles jogado dentro da caixa de água da descarga do vaso sanitário. Além disso, os agentes apreenderam fãcões embaixo de colchões, R$ 1,1 mil dentro de uma Bíblia, porções de maconha e caderno com anotações de venda de entorpecentes.

Já em Campo Fromoso, pela manhã, apreenderam uma submetralahadora, uma pistola, um revólver e drogas no local usado pela quadrilha chefiada pelo detento. Dois criminosos que estavam no local entraram em confronto com equipes da 19ª Coorpin e não resistiram.

 

“Sabemos que o custodiado continuava ordenando o tráfico e execuções de rivais, na região Norte do Estado. Agradecemos a parceria com a Seap, na retirada dos celulares”, destacou o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis. O policial civil acrescentou que os aparelhos passarão por perícia e que poderão servir como provas de novos crimes cometidos pelo detento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*