Bem Vindo ao Correio do Oeste - 6 Anos Alimentando Você com Informações Políticas !









Após conclusão de estudos, prefeitura de Salvador renova concessão de aterro por 3 anos

Publicado em: 12/11/2020

por Matheus Caldas

Após conclusão de estudos, prefeitura de Salvador renova concessão de aterro por 3 anos

Foto: Divulgação / Arsal

Após a conclusão dos estudos da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) (entenda aqui), a prefeitura de Salvador estendeu por mais 36 meses a concessão do Aterro Metropolitano Centro e Estação de Transbordo com a concessionária Bahia Transferência e Tratamento de Resíduos Ltda (Battre). A informação consta no Diário Oficial do Município da última segunda-feira (9), mas o vínculo foi assinado no dia 26 de outubro.

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), responsável pela estrutura, o relatório da Fipe sugeriu “algumas modificações, a exemplo da migração para um sistema denominado de ‘Cross Wrap + Aterro Seco’, o que deve ser feito por meio de projeto piloto, dependendo de validação posterior acerca de sua efetiva viabilidade e obtenção de melhorias e redução de custos”.

 

Ainda segundo a pasta municipal, no período da nova concessão haverá “análise e validação dos projetos sugeridos, que serão acompanhados por grupo de trabalho especialmente constituído para esse fim”. A secretaria explicou que esta foi uma sugestão da própria Fipe por “necessidade de validação de outras soluções ambientalmente adequadas e mais econômicas”, e que a administração, por cautela, prorrogou o contrato “visando a preservação do interesse público”. 

 

No novo vínculo, ficou acertado o valor de R$ R$ 57,80 por tonelada no espaço do aterro e uma tarifa de R$ 27,18 por tonelada no transporte dos dejetos.

 

A CONCESSÃO
O contrato foi firmado entre o município e a Batre em 1999. Segundo o documento, a partir de 2019, as partes podem estender o vínculo por renovações sucessivas por mais 20 anos. No momento, este é o 18º aditivo.

 

Na extensão anterior, de 120 dias, a prefeitura contratou a Fipe para concluir os estudos e análises de projetos “acerca das possíveis soluções para a disposição de resíduos sólidos do Município, seja por ampliação ou por nova contratação, conforme se mostrar tecnicamente adequado e juridicamente recomendável”.

 

O aterro metropolitano recebe resíduos de Salvador, Lauro de Freitas e Simões Filho, na região metropolitana. Este é o único espaço público destinado a este fim que recebe o lixo da capital baiana. Segundo estimativa da Semop, o local recebe cerca de 75 mil toneladas de resíduos domiciliares por mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*