TRANSPOSIÇÃO DO RIO TOCANTINS PASSA PELO RIO PRETO. EU NÃO FUI OUVIDO, E VOCÊ FOI? -POR BIRA LISBOA

Publicado em: 13/11/2017

Por Bira Lisboa

Foi noticiado esta semana que a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou o Projeto de Lei n° 6569/13, do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), que prevê a interligação entre os rios Preto (BA) e Tocantins.
A justificativa do projeto seria recuperar o Rio São Francisco e permitir a navegação entre as duas bacias. Isso porque o Rio Preto faz parte da Bacia do Rio São Francisco e seria o elo mais curto com o Rio Tocantins.

Há muitos aspectos curiosos e preocupantes nesse projeto. O primeiro é que o autor da lei é um deputado do Pernambuco que talvez nem conheça o Rio Preto. Segundo por que apostar nessa medida, a recuperação do Rio São Francisco, ao invés de se preocupar com as margens, o leito e as nascentes dele próprio que foram devastados ao longo dos anos?
Por fim, e pior, é que se desconhece ou não foi divulgado nenhum estudo de impacto ambiental no nosso Rio Preto e seus afluentes, nem a população de Formosa e Santa Rita de Cássia até o momento teve a chance de se manifestar ou ser ouvida.

O inusitado projeto tem inspiração no livro de Geraldo Rocha “o Rio São Francisco, precípuo para o desenvolvimento do Brasil”, publicado em 1940, cuja ideia era priorizar o transporte fluvial. Não é preciso reafirmar que o Brasil de lá para cá, contrariando a antevisão de Geraldo Rocha, investiu apenas no transporte terrestre em detrimento do fluvial e ferroviário. E mais, a própria navegação pelo São Francisco, muito intensa até os anos 80, foi abandonada pelo Brasil que não esboçou nenhuma preocupação ou fez qualquer investimento nos últimos 70 anos para manter as condições do rio.

Enfim, questionamentos temos muitos. Não tenho uma opinião totalmente formada sobre este assunto, mas não fui ouvido nem você, leitor, foi.

Por isso, até mesmo por não ter sido consultado nem informado, SOU CONTRA.

1 Comentário

Estimado Dr Bira, há tempos li o livro de Geraldo Rocha e já, àquela época achei a ideia muito surreal e megalomaníaca…com todo respeito, essa possibilidade não é factível, seria absurdamente cara e não mudaria a situação do velho Chico… também não tenho expertise no assunto hidrográfico, mas como leigo não consigo ver viabilidade nenhuma na ideia…

Participe ! Deixe seu comentário !

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*